quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Fim de um romance !

    Fim de um romance !

     Acabou nosso amor, sob um pretexto fútil
     Por fim chego a crer , eu já não ser útil.
     As coisas que sinto, eu digo francamente
     Não me dou por vencido, apesar de descontente

     Detesto lamuriar as injúrias recebidas
     Não costumo censurar tuas investidas
     Mas desta vez, meu amor sublime e puro
     Pede ao pobre coração que seja duro.

     Porque um amor candente, cinzas virou
     Quando a taça de cristal se esvaziou
     E o vinho que nela estava azedou

     E, se tão fatal poder, tem o destino
     Pobre de mim, que jamais o descortino
     E neste momento, sinto-me peregrino.

     Porangaba, 07/11/2012 (data da criação)
     Armando A. C. Garcia

       Direitos autorais registrados

       Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário