quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Perde-se a Vida ...

Perde-se a Vida ...

Ao ambicionar viver, perde-se a vida
Na cobiça de ser feliz e não puder
Se soubéssemos amar e não sofrer
Teríamos esperança, na fé consentida

Para em cada situação por nós sentida
Sem temores, sabermos seguir em frente
Consultando a consciência confidente
Para não perder o tino desiludida

Cobre de bondade e sentimento tanto
Que o tempo passe sem perturbar a paz
Para ouvir de novo da tua voz o canto

E assimilar à calmaria tenaz
Não as lamúrias dum coração em pranto
Mas a expressão da verdade que apraz

São Paulo, 24/03/2009 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Direitos autorais registrados
      Mantenha a autoria do poema

Nenhum comentário:

Postar um comentário