quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Tangendo a ilusão !

Tangendo a ilusão !

Transcorre a noite no silêncio sideral
Fecho os olhos surge tua imagem astral
Meu pensamento reflete a fantasia
Do primeiro encontro, do primeiro dia

O psique que abarca os sentimentos
Cognitivos* da vontade e dos momentos
São a fiel supremacia da razão
Aquela que emana tangendo o coração

Ternos desejos sequiosos a vista cegam
E teus rubros lábios sedentos não negam
No sorriso que se misturam à sedução

O anseio que mora em teu peito amante
É fogo em ebulição em todo teu semblante
E inflama os vôos de meu pobre coração !

* Relativos ao conhecimento

São Paulo 22/07/2009 (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema


Nenhum comentário:

Postar um comentário